IE Not suppported

Sorry, but Internet Explorer is no longer supported.

For the best D2L.com experience, it's important to use a modern browser.

To view the D2L.com website, please download another browser such as Google Chrome or Mozilla Firefox.

7 erros ao elaborar um treinamento corporativo virtual que a sua empresa precisa evitar

  • 5 min para ler

O treinamento corporativo virtual tem se tornado a iniciativa mais valorizada dentro das empresas e isso não é por acaso. Com as novas dinâmicas do trabalho e, principalmente, a inovação constante do mercado, as empresas precisam modernizar os seus processos internos e preparar adequadamente os seus colaboradores.

Por outro lado, a implementação de fluxos robustos de capacitação tem impactos bastante positivos na operação, como:

  • Aumenta o engajamento dos colaboradores;
  • Aumenta a eficiência e produtividade da operação;
  • Minimiza erros que prejudiquem o desempenho dos times;
  • Apoia o desenvolvimento de soft skills importantes para o futuro do trabalho, como flexibilidade e criatividade;
  • Reduz a rotatividade de funcionários (taxa de turnover);
  • Aumenta a qualidade dos serviços desenvolvidos;
  • Prepara a sua empresa para o desenvolvimento de novos produtos ou serviços, assim como expansão dos negócios.

No entanto, apenas é possível conquistar essas vantagens, quando os treinamentos são implementados de maneira acertada. Diante disso, confira abaixo alguns erros que atrapalham a adoção de um programa de educação corporativa na sua empresa e como evitá-los.

7 erros ao elaborar o treinamento corporativo virtual que a sua empresa precisa evitar

Dentre as principais falhas que atrapalham a implementação de um treinamento corporativo virtual, podemos citar:

1.   Não estabelecer um objetivo claro

A razão da implementação de um treinamento corporativo precisa estar clara para os colaboradores, caso contrário, eles não somente sentirão que essas iniciativas não fazem sentido, como também não participarão dessas práticas, o que resultará em um enorme desperdício de tempo e dinheiro.

Por essa razão, deixe muito claro o porquê a sua empresa está propondo esses processos de desenvolvimento, independentemente se o objetivo é corrigir falhas internas, preparar o time para adoção de uma nova tecnologia, capacitar os colaboradores para desenvolvimento de novas soluções ou reduzir as lacunas de habilidades.

2.   Não realizar um planejamento efetivo de educação corporativa

Elencando o tópico anterior, o objetivo caminha de mãos dadas com o planejamento. Um não existe sem o outro. E nem deveria existir. Afinal, de nada adianta ter uma meta e não saber como colocá-la em prática, certo?

Por essa razão, tenha fluxos muito definidos para a implementação do treinamento corporativo virtual, desde a criação dessas iniciativas e os temas que serão abordados, até os departamentos que participarão, medidas de monitorar o desempenho dos colaboradores

3.   Não priorizar a preparação dos líderes

Outro ponto importante é a preparação dos líderes. Muitas empresas começam um programa de treinamento corporativo virtual sem, primeiro, envolver ativamente os gestores nesse processo e isso é um erro terrível.

Na prática, são os líderes que estarão acompanhando os funcionários no dia a dia, tirando dúvidas acerca dos treinamentos e, principalmente, monitorando a adesão dos próprios colaboradores pelas iniciativas.

Se os líderes não entenderem, exatamente, como funcionam esses processos, objetivos e o planejamento, dificilmente conseguirão auxiliar as suas equipes, o que também tem impacto direto sobre o envolvimento dos colaboradores.

4.   Não implementar metodologias de aprendizagem inovadoras

As metodologias de aprendizagem simplificam os fluxos de ensino e facilitam o entendimento dos conteúdos dos treinamentos por parte dos colaboradores.

Muitos gestores acreditam, porém, que essas iniciativas podem apenas ser implementadas no ensino superior ou básico, no entanto, não poderiam estar mais errados.

Quando aplicadas na educação corporativa, as metodologias ativas de aprendizagem aumentam o engajamento dos colaboradores, isso porque são capazes de criar competições saudáveis ao mesmo tempo que personaliza o fluxo de ensino.

Algumas opções que podem ser implementadas na sua empresa são:

  • Gamificação;
  • Educação baseada em jogos;
  • Educação baseada em competências;
  • Educação baseada em projetos;
  • Ensino híbrido (combinar os treinamentos corporativos virtuais com treinamentos presenciais).

5.   Desconsiderar as metas e objetivos de cada colaborador

Um erro muito grave que os gestores frequentemente cometem é planejar treinamentos padronizados e presumir que todos os colaboradores tenham o mesmo objetivo dentro da empresa.

Ou seja, não é viável implementar um treinamento focado em liderança, por exemplo, se boa parte dos seus colaboradores não almejam cargos de gestão. Ou, ainda, direcionar treinamentos técnicos de áreas específicas se os funcionários desejam desenvolver outras competências.

O ideal é conhecer muito bem os seus colaboradores e elaborar um Plano de Desenvolvimento Individual. Esse documento já tão citado nos nossos conteúdos, tem como objetivo principal mapear as aspirações profissionais dos funcionários e combiná-las às possibilidades de crescimento que a empresa pode oferecer.

Com base nisso, os gestores analisam quais são as habilidades que os colaboradores já possuem e quais competências precisam desenvolver para alcançar seus objetivos dentro da organização.

Por meio do PDI, o plano de carreira do funcionário se torna muito mais transparente, o que aumenta a sua motivação e engajamento, assim como minimiza a taxa de turnover.

6.   Não acompanhar indicadores de treinamento e desenvolvimento

Não acompanhar indicadores é um erro que, mesmo em plena era digital, muitos gestores ainda teimam em cometer, não somente quando nos referimos aos treinamentos corporativos, mas também nos processos internos.

As métricas de desempenho ajudam os líderes a entenderem o quanto os colaboradores estão envolvidos ou não nas iniciativas de educação corporativa, assim como analisar o desempenho desses funcionários, dificuldades e possibilidades de melhorias.

Sem o acompanhamento de indicadores estratégicos, a ação de educação corporativa se torna “cega”, isso porque a empresa não possui um norte para direcionar o seu time e, consequentemente, as chances de que as iniciativas deem errado ou sejam pouco aproveitadas são enormes.

7.   Não explorar a tecnologia

Por fim, a tecnologia é um dos fatores mais importantes no treinamento corporativo virtual. Empresas que não contam com boas ferramentas, não conseguirão proporcionar aos seus colaboradores uma experiência positiva nos cursos de capacitação online.

O ideal é buscar por plataformas que não somente sejam customizáveis, mas também ofereçam um leque de possibilidades de integração e recursos de avaliação.

Conte com a Plataforma Brightspace!

A Plataforma Brightspace é um sistema de gestão completo e intuitivo que pode ajudar nas iniciativas de educação corporativa da sua empresa.

Consistindo em uma plataforma inovadora, a Brightspace permite total personalização dos fluxos de aprendizagem, assim como combinação de diferentes metodologias ativas.

Contando com recursos de última geração, a Brightspace viabiliza a criação de um treinamento corporativo virtual engajador e completamente focado nas necessidades dos seus colaboradores.

Quer saber mais? Acesse agora mesmo e solicite uma demonstração gratuita!

Fique por dentro Inscreva-Se

    Cadastre-se já

    Educadores e treinadores recebem nossas dicas e melhores práticas todo o mês.

    Por favor, preencha o campo obrigatório.
    O número de telefone deve ser um número válido.

    Você está inscrito! Obrigado por inscrever-se.

    Um e-mail de confirmação será enviado para você a qualquer momento. Caso não veja, dê uma olhada na sua caixa de spam.

    Inscreva-se no nosso blog

    Educadores e treinadores recebem nossas dicas e melhores práticas todo o mês.

    Cadastrar