IE Not suppported

Sorry, but Internet Explorer is no longer supported.

For the best D2L.com experience, it's important to use a modern browser.

To view the D2L.com website, please download another browser such as Google Chrome or Mozilla Firefox.

Como avaliar metodologias ativas no ensino remoto?

  • 3 min para ler

Confira como avaliar metodologias ativas e entenda quais são as estratégias mais comuns para gerar resultados eficientes à sua instituição.

Não é uma grande surpresa acompanhar todas as mudanças que a crise de saúde do novo coronavírus provocou em todos os setores da sociedade, inclusive na educação. Nesse sentido, as IES têm buscado formas de aplicar novos métodos de aprendizagem e maneiras de como avaliar metodologias ativas.

Na prática, mesmo antes da pandemia de Covid-19, de acordo com uma pesquisa da Educa Insights, o ensino a distância já era uma preferência para 74% dos estudantes.

No entanto, a migração para o EAD tem gerado alguns desafios para as instituições de ensino. Para se ter uma ideia, esse mesmo estudo nos revela que 15% dos alunos, durante a quarentena, decidiram trancar a matrícula no ensino superior porque as IES não conseguiram migrar totalmente à essa modalidade de aprendizagem.

Esses dados nos mostram que o sucesso na adesão do EAD não está relacionado apenas com viabilizar um curso remotamente, mas também na aderência de tecnologias e, principalmente, estratégias educacionais que permitam essa disrupção.

Diante disso, aplicar e implementar formas de como avaliar metodologias ativas é um passo essencial nesse processo. Para te ajudar nisso, a D2L preparou um conteúdo completo. Continue com a sua leitura e confira!

Leia mais: Como o ensino híbrido pode ser usado no retorno das aulas presenciais?

Quais são as metodologias ativas mais comuns?

De modo geral, as metodologias ativas consistem em técnicas pedagógicas que têm por objetivo maximizar a experiência do aluno com o curso e os materiais.

Desse modo, a instituição consegue aumentar o engajamento do estudante, potencializar o processo de ensino e diminuir a taxa de evasão. Dentre as metodologias mais comuns, é possível destacar:

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida é uma ação que visa alterar o curso natural dos estudos, colocando o aluno como ponto central do seu aprendizado e tirando a figura de um docente.

Isso ocorre porque ao invés do professor ministrar os materiais, os estudantes têm acesso aos conteúdos e os expõem ao decorrer da aula, seja como apresentação ou debate.

Gamificação

Já a gamificação é uma metodologia de ensino baseada nos conceitos de jogos. Desse modo, cada vez que o aluno avança nos estudos, cumpre suas tarefas ou finaliza quaisquer atividades propostas, ele pode ganhar pontos por isso.

Trilhas de aprendizagem

Por fim, as trilhas de aprendizagem são as estratégias mais usuais atualmente, especialmente com a necessidade de customização do ensino.

De maneira geral, esse processo oferece aos alunos diversos “caminhos” para estudar os conteúdos propostos, de acordo com o desempenho e dificuldade, fornecendo um processo personalizado.

Como avaliar metodologias ativas no ensino remoto?

Agora que entendemos quais são os principais métodos, precisamos compreender maneiras práticas de como avaliar metodologias ativas.

O primeiro passo para isso é analisar atentamente todo o ciclo de aprendizagem. Isso quer dizer que os gestores educacionais precisam compreender muito bem quais são os fluxos que os alunos seguem para conseguir assimilar os conteúdos e se existem possíveis gargalos.

Especialmente no ensino remoto, em que o contato do estudante com os professores se torna ainda mais restrito, as instituições devem se atentar para facilitar a aplicação dessas ações que melhoram a experiência do aluno com a plataforma.

Por outro lado, é essencial entender como avaliar metodologias ativas de acordo com o desenvolvimento do aluno.

Para isso, uma maneira bastante eficiente é aplicar instrumentos variados de análises, como acompanhamento dos logins feitos pelos pelos estudantes, interações online, atividades entregues, participações em trabalhos práticos e outras ações impostas pelo corpo docente.

Lembre-se, por meio desse processo, a sua IES pode identificar se há algum tipo de dificuldade, além de recolher informações valiosas para personalizar a disponibilização de conteúdos ou interação com os alunos.

Você pode se interessar: Como será a experiência de aprendizagem dos alunos no ensino superior pós-crise e pandemia?

Conte com a plataforma de aprendizagem Brightspace!

A plataforma de aprendizagem Brightspace, da D2L, é um sistema de gestão que permite criação e disponibilização de cursos e treinamentos online.

Possuindo design intuitivo e responsivo, a Brightspace fornece às instituições todo suporte necessário para migração ao ensino a distância.

Além disso, o sistema de gestão da aprendizagem conta com ferramentas avançadas para como avaliar metodologias ativas, tanto na aplicação dessas estratégias e adesão dos alunos, quanto a respeito do desenvolvimento dos estudantes nas disciplinas estipuladas.

Desse modo, as IES otimizam o processo de ensino, reduzem custos operacionais, minimizam possíveis gargalos na educação e garantem total transformação digital. Deseja saber mais? Conte com o apoio da D2L!

Cadastre-se já

Por favor, preencha o campo obrigatório.
O número de telefone deve ser um número válido.

Obrigado por se inscrever!

Inscreva-se no nosso blog

Receba as últimas notícias e dicas de especialistas para ajudar você a aproveitar ao máximo sua plataforma de aprendizagem.

Cadastrar