IE Not suppported

Sorry, but Internet Explorer is no longer supported.

For the best D2L.com experience, it's important to use a modern browser.

To view the D2L.com website, please download another browser such as Google Chrome or Mozilla Firefox.

Por que aplicar metodologias ativas no ensino superior?

  • 4 min para ler

Entenda o que são as metodologias ativas no ensino superior, as principais estratégias do mercado e razões para aplicá-las na sua IES.

A busca por se adequar às demandas atuais do mercado e promover uma melhor experiência aos alunos tem feito com que diversas instituições adotem metodologias ativas no ensino superior

Na prática, essas estratégias podem ser definidas como iniciativas que visam aperfeiçoar o processo de ensino-aprendizagem, promovendo o protagonismo do estudante e mudando o papel dos professores nesse processo. 

Em outras palavras, as metodologias ativas estimulam a criação de um senso de responsabilidade no estudante, que passa a atuar ativamente na construção do próprio saber. Assim, ele se envolve no processo de aprendizagem, deixando para trás aquela velha ideia de aulas com slides e com pouca interação, características do processo tradicional de ensino.

Dessa forma, as metodologias ativas no ensino superior também visam trazer não apenas uma nova maneira de estudar, mas também de facilitar a absorção dos conteúdos e maximizar o aproveitamento dos alunos.

Na prática, existem algumas metodologias principais e que vêm ganhando espaço no mercado, como:

  • Trilhas de aprendizagem: caracterizadas por “formas” personalizadas de proporcionar ao aluno um ensino de acordo com as suas dificuldades ou facilidades nas disciplinas;
  • EBC (ensino baseado em competência): permite o desenvolvimento do aluno conforme as habilidades já adquiridas. Por meio dessa metodologia, o estudante pode encurtar o período do curso caso ganhe as competências necessárias com rapidez;
  • Gamificação: mistura os conceitos de jogos ao processo de ensino, promovendo uma aprendizagem muito mais dinâmica, baseada em desafios, ganhos de pontos, níveis e outras características;
  • Sala de aula invertida: por fim, essa metodologia marca uma troca de atuação entre os professores e alunos nas aulas, ou seja, coloca o aluno como protagonista e os educadores como orientadores desse processo.

Em comum, todas essas metodologias possuem o desafio de transformar o professor em uma espécie de guia na jornada individual de cada aluno – e não mais em uma figura isolada e superior, detentora de todo conhecimento e responsável por passá-lo adiante.

Além disso, essas metodologias podem ser aplicadas em todos contextos, seja em aulas 100% presenciais ou em modelos de ensino a distância (EAD). Afinal, a aprendizagem ativa reflete sobre as diferentes formas de repassar o ensino e processar o conhecimento.

Em resumo, elas valorizam os saberes prévios do aluno para a construção da sua própria jornada educacional e, posteriormente, identificam os recursos que, de fato, podem ajudá-lo.

E para que você possa entender um pouco mais acerca das metodologias ativas no ensino superior, além dos benefícios e razões para adotá-las, elaboramos esse conteúdo completo. 

Continue com a sua leitura e saiba mais!

Leia também: Ensino no pós-pandemia: tecnologias digitais para uma aprendizagem ativa e inovadora

5 razões para aplicar metodologias ativas no ensino superior

Um estudo conduzido por Scott Freeman, um respeitado professor da Universidade de Washington nos Estados Unidos, comparou as taxas de reprovação e a aprovação em provas e testes realizados com estudantes que foram submetidos tanto às metodologias ativas quanto às aulas expositivas tradicionais. 

Em média, a aprovação do primeiro grupo foi cerca de 6% superior. Já a taxa de reprovação dos estudantes de meios tradicionais de ensino foi cerca de 1,5% maior.

Na mesma linha, um estudo conduzido no Brasil e coordenado pelo diretor da +A Educação Gustavo Hoffmann, com auxílio da Universidade Harvard, mostrou que os estudantes submetidos às metodologias ativas aprenderam em média 9% mais do que aqueles submetidos à exposição de conteúdos tradicionais e sem muita interação. 

Neste estudo, a metodologia utilizada foi a da sala de aula invertida.

Além disso, o estudo revelou que duas semanas após uma aula tradicional, os alunos tendem a lembrar de menos de 30% do que foi estudado. Já nas metodologias ativas, o engajamento dos alunos faz com que eles tenham uma maior absorção.

Dentre os principais motivos para aplicar na sua instituição inovadoras metodologias ativas no ensino superior, podemos elencar:

Ampliam o engajamento do aluno

Um dos benefícios mais expressivos dessas ações pedagógicas, sem dúvidas, pode ser notado no aumento do engajamento dos alunos

Na prática, o universo educacional tem passado por algumas mudanças nos últimos anos, especialmente no que diz respeito ao perfil dos estudantes.

Ou seja, as estratégias tradicionais já não surtem mais o efeito esperado nas salas de aula e, por isso, promover um processo de ensino mais dinâmico potencializa o interesse dos alunos e, consequentemente, a participação deles nas disciplinas. 

Potencializam a satisfação do aluno com a IES

Outro ponto fundamental das ações educacionais é a satisfação do aluno com a sua instituição, aspecto, inclusive, crucial para retenção de matrículas.

Ao terem novas opções de ensino e um melhor acompanhamento dos professores, os estudantes se sentem mais valorizados, o que potencializa a experiência deles com a IES.

Reduzem a taxa de evasão

Por falar em retenção, as metodologias ativas no ensino superior auxiliam também na redução da taxa de evasão por meio da conservação dos matriculados. 

Com isso, a instituição consegue manter a relação de alunos por muito mais tempo, ganhando diferencial competitivo e melhorando constantemente seus processos internos.

Promovem mais autonomia ao estudante

Lembra-se que falamos a respeito da troca de papéis entre os alunos e professores, assim como o protagonismo dos estudantes

Pois bem, esse aspecto permite que os matriculados tenham mais autonomia nas aulas, especialmente na ascensão do ensino online.

Dessa forma, os alunos são mais “livres” para estudar da forma que mais corresponde às suas necessidades ou expectativas. 

Aumentam a interação entre outros estudantes e os próprios professores

Por fim, a adoção de metodologias ativas no ensino superior aumenta a interação dos alunos tanto com outros estudantes quanto com os próprios professores.

Isso é possível não apenas durante as aulas, mas também por meio de projetos práticos, fóruns de discussões, grupos de debates ou estudos, dentre outras iniciativas.

Você pode se interessar: Inovação na educação: quais são as grandes mudanças do ensino superior no Brasil?

Conheça a plataforma Brightspace!

A D2L auxilia as instituições na implementação de metodologias ativas no ensino superior e adequação ao EAD por meio da plataforma Brightspace, sistema de gestão da aprendizagem.

Contando com um design intuitivo e totalmente responsivo, a plataforma permite a criação de cursos e treinamentos em diversos formatos, assim como a combinação de diferentes estratégias de aprendizagem ativa.

De maneira prática, a Brightspace facilita a elaboração e disponibilização de conteúdos, promovendo aos alunos um ambiente dinâmico para estudos e aos professores uma série de ferramentas inovadoras de acompanhamento. 

Deseja saber mais? Acesse agora mesmo e conheça um pouco mais a respeito da D2L!

Fique por dentro Inscreva-Se

    Cadastre-se já

    Educadores e treinadores recebem nossas dicas e melhores práticas todo o mês.

    Por favor, preencha o campo obrigatório.
    O número de telefone deve ser um número válido.

    Você está inscrito! Obrigado por inscrever-se.

    Um e-mail de confirmação será enviado para você a qualquer momento. Caso não veja, dê uma olhada na sua caixa de spam.

    Inscreva-se no nosso blog

    Educadores e treinadores recebem nossas dicas e melhores práticas todo o mês.

    Cadastrar