IE Not suppported

Sorry, but Internet Explorer is no longer supported.

For the best D2L.com experience, it's important to use a modern browser.

To view the D2L.com website, please download another browser such as Google Chrome or Mozilla Firefox.

Essa semana em EdTech: Um curso de pós-graduação tradicional que tem, em média, duração de 360 horas no modelo presencial pode durar até 2 anos. No ensino híbrido poderá ser realizado em 6 meses.

  • 5 min para ler

Confira também: O aluno torna-se protagonista de sua aprendizagem, desenvolvendo uma postura proativa. Durante o tempo todo, ele é estimulado a desenvolver autonomia diante do estudo, disciplina e organização.

Qual é a melhor Pós-graduação para o atual cenário de mercado?

Instituições de ensino que estão em sintonia com o mercado têm adotado o modelo de ensino híbrido para entregar a melhor experiência possível para seus alunos. Investem em nomes de peso para os momentos presenciais e utilizam o ensino a distância para entregar conteúdos de qualidade e reduzir o tempo de integralização do curso.

Leia na íntegra

Tecnologia e neurociência em prol da equidade e personalização da educação

É fato que o desenvolvimento tecnológico altera nossa percepção e acelera nosso ritmo de pensar e de fazer. São inúmeras as formas de ensinar e aprender. A tecnologia, aliás, é uma grande aliada no sentido de diversificar caminhos de aprendizagem e ao mesmo tempo permitir adaptações às necessidades individuais.

Leia na íntegra

 

Promover a fluência digital é imprescindível

Em outra frente, apesar de ainda encontrar resistências, já é realidade crescente no Brasil e no mundo o ensino híbrido (ou blended, ou semipresencial), modalidade que combina tanto o professor em sala de aula orientando e expondo conteúdos quanto o discente estudando remotamente em plataformas digitais.

Leia na íntegra

Vagas em EaD ultrapassa presencial

Pela primeira vez, a oferta de vagas nos cursos de graduação na modalidade EaD (Educação a Distância) é maior que a do ensino presencial. Segundo dados divulgados pelo MEC (Ministério da Educação) em parceria com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), foram cerca de 7,1 milhões contra 6,3 do curso presencial, representando uma diferença de 53%.

Leia na íntegra
Fique por dentro Inscreva-Se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment Submitted

Thank you for your comment

Cadastre-se já

Por favor, preencha o campo obrigatório.
O número de telefone deve ser um número válido.

Obrigado por se inscrever!

Inscreva-se no nosso blog

Receba as últimas notícias e dicas de especialistas para ajudar você a aproveitar ao máximo sua plataforma de aprendizagem.

Cadastrar