Os dados são a chave para o sucesso da aprendizagem? | D2L Brasil
IE Not suppported

Sorry, but Internet Explorer is no longer supported.

For the best D2L.com experience, it's important to use a modern browser.

To view the D2L.com website, please download another browser such as Google Chrome or Mozilla Firefox.

Os dados são a chave para o sucesso da aprendizagem?

  • 5 min para ler

Você está usando dados para aprimorar continuamente sua oferta de aprendizado? São eles que fazem a diferença entre boas e ótimas experiências de aprendizagem!

Se você pretende fornecer uma experiência de aprendizagem verdadeiramente moderna e personalizada para seus colaboradores, é hora de parar de ignorar os dados. Até bem recentemente, a tecnologia de aprendizagem não fornecia muitas informações sobre nossos alunos. Só sabíamos se tinham concluído um curso e se tinham sido aprovados ou reprovados. As soluções de aprendizagem modernas, por outro lado, fornecem percepções reais e acionáveis sobre o desempenho de nosso pessoal. Elas nos mostram onde estão as lacunas de competências, onde falta empenho nos funcionários e onde você pode estar à procura de algo que ainda não existe.

Usar esses dados como base de seu programa de aprendizagem já é ótimo, mas, que tal usá-los para melhorar e aprimorar continuamente sua oferta de ensino? São eles que fazem a diferença entre boas e ótimas experiências de aprendizagem! Especialmente quando se trata de aprendizagem programática ou baseada em programas. A aprendizagem programática é uma abordagem mista e de longo prazo para o aprendizado, que combina dados, aprendizagem personalizada, interação, prática e feedback para gerar mudanças comportamentais de fato. Na sexta e última publicação da série sobre aprendizagem programática no blog, mostraremos como os dados podem aprimorar sua oferta de aprendizagem e melhorar a experiência do aluno.

A revolução dos dados em T&D

Os dados nem sempre forneceram informações excepcionalmente úteis para T&D. Por mais que seja necessário saber se o aluno concluiu o curso e se foi aprovado ou reprovado em uma avaliação, esses dados não nos dizem nada de substancial. Eles não nos dizem por que um indivíduo desistiu de um curso antes do tempo, nem que recursos acessou (ou deixou de acessar) antes de fazer uma avaliação. Em vez disso, mostram apenas uma informação completamente isolada de um panorama muito maior. Isso não ajuda a refinar e melhorar nossas experiências de aprendizagem. Em vez disso, precisamos de dados que mostrem como os recursos foram utilizados e qual foi o impacto de diferentes intervenções de aprendizagem nos resultados. São esses dados que podem gerar o impacto necessário em nossas organizações.

Desde o início dos anos 2000, o conceito de “big data” entrou no mundo dos negócios. Big data é uma combinação de dados estruturados, semiestruturados e não estruturados coletados por organizações, que podem ser minerados em busca de informações e usados em projetos de aprendizagem de máquina. Ao longo dos anos, houve muitas discussões sobre o uso de big data em RH e T&D. Muitos refutam a afirmação de que devemos utilizar big data em nossa indústria, simplesmente porque não acreditam que existam dados suficientes. A maioria das empresas tem milhares de funcionários, não milhões, então os dados que mantemos em nossas equipes são, na verdade, bastante “pequenos”. Em uma coisa todos concordam, no entanto: é preciso usar dados (não importa de que tipo) para melhorar a experiência e a aprendizagem de nossos funcionários.

E o uso de dados tornou-se ainda mais importante nos últimos meses. O início da pandemia de covid-19 obrigou os profissionais de T&D a dar uma guinada de 180 graus, mudar completamente o foco e transformar a maneira como o ensino era disponibilizado para os colaboradores. O T&D saiu do conforto da sala de treinamento e dos cursos presenciais e passou a entregar seus programas virtualmente. A mudança para o aprendizado virtual, entretanto, não significa apenas aprender novas ferramentas digitais, mas também perder o ponto de dados mais valioso do treinador: a linguagem corporal. Por isso, hoje é mais importante do que nunca usar os dados de nossa pilha de tecnologia de aprendizagem para avaliar o progresso dos alunos ao longo de um programa, identificando aqueles que estão tendo dificuldades e descobrindo maneiras de ajudá-los e apoiá-los ao longo do programa.

Uma mudança de mentalidade sobre dados

Muitos profissionais de T&D negligenciam a importância da análise de dados. Em vez de usar a análise, simplesmente se dedicam à criação e à adoção de programas de aprendizagem, raramente olhando para trás para ver o que funcionou, o que não funcionou e o que pode ser aprimorado. Chegou a hora de mudar. A área de T&D precisa fazer uma ampla autocrítica de sua produção e assumir a responsabilidade pelo sucesso do aluno. E isso vai exigir uma mudança de mentalidade.

Frequentemente, na área de T&D, os dados são vistos como indicadores de desempenho da produção da equipe de aprendizagem. Se as taxas de aprovação na avaliação forem altas, a equipe fez um bom trabalho. Se forem baixas, a equipe fez algo errado. Essa mentalidade precisa mudar. Sabemos que as avaliações são uma pequena parte de um programa de aprendizagem muito mais amplo. Existem inúmeras razões pelas quais as pontuações da avaliação podem ser extremamente altas ou terrivelmente baixas – mas as pontuações, por si só, não devem ser indicadores do sucesso ou do fracasso do departamento de T&D.

Em vez disso, precisamos usar os dados como indicadores para melhorias. Taxas de aprovação baixas podem significar que os alunos precisam de mais treinamento no trabalho ou, talvez, de mais tempo para praticar. Também podem significar que a ênfase do aprendizado está na seção errada, e que você precisa reorganizar seu programa para atender às necessidades dos alunos e preencher as lacunas de habilidades em áreas relevantes. Se mudar de mentalidade e ver os dados como uma forma de capacitar a equipe de T&D e, por sua vez, ajudar mais alunos, em pouco tempo você passará a adotar o uso de dados em todas as oportunidades.

Dados na aprendizagem programática

A aprendizagem programática é uma estrutura projetada para abordar questões organizacionais mais complexas por meio da aquisição e da aplicação de novas habilidades e conhecimentos. No entanto, as necessidades organizacionais evoluem, assim como as habilidades que nossos colaboradores precisam desenvolver ao longo da carreira. Enquanto um grupo de alunos está terminando o programa, outro está só começando. Se o programa de aprendizado nunca fosse atualizado e aprimorado, você estaria cometendo uma verdadeira injustiça com seus alunos. E não, isso não significa ir ajustando o design aos poucos ao longo dos anos para deixá-lo mais legal. Você precisa aprimorar o conteúdo para garantir que continue a se adequar às constantes mudanças nas necessidades dos alunos e no ambiente em que estão inseridos.

Como descobrir o que precisa ser mudado em seu programa de aprendizado? Com dados, é claro.

Dados e informações são uma etapa crucial da estrutura de aprendizagem programática. A aplicação da estrutura deve começar com dados, tais como:

  • O que seus colaboradores precisam saber?
  • Como estão se saindo atualmente?
  • Como se sentem atualmente?

Depois de saber disso, você precisa projetar jornadas de aprendizagem personalizadas, repletas de interação, prática e feedback que se baseiem nas necessidades definidas a partir desses dados iniciais.

A verdadeira eficácia da aprendizagem programática, no entanto, vem do fato de ser uma jornada cíclica e contínua de evolução. E os dados do início da jornada são apenas isso: o início. Com o tempo, você pode avaliar sua jornada de aprendizagem mista e avaliar o que funciona, por exemplo:

  • O que está causando o maior impacto em seus alunos?
  • Que etapas eles estão negligenciando?
  • Como a combinação que você montou afeta o desempenho deles?
  • O que eles precisam saber melhor?
  • O que você pode fazer para apresentar melhor essas informações?

E então você começa de novo, ajustando, refinando e aprimorando o programa de aprendizado, o que incrementa o desempenho e a obtenção do aprendizado cada vez que um círculo de aprendizagem programática é concluído.

Com isso, você promove a melhoria contínua da experiência de aprendizagem. Ao desenvolver e aprimorar a oferta de ensino disponível para os alunos, você lidera pelo exemplo. Você vai promover uma organização que conta com alunos motivados e sempre interessados na aprendizagem. Para fazer isso, você não pode usar apenas os dados, mas integrá-los ao restante da estrutura de aprendizagem programática para gerar um impacto real. Para saber mais sobre aprendizagem programática, baixe nosso e-book gratuito agora.

Fique por dentro Inscreva-Se

Cadastre-se já

Por favor, preencha o campo obrigatório.
O número de telefone deve ser um número válido.

Obrigado por se inscrever!

Inscreva-se no nosso blog

Receba as últimas notícias e dicas de especialistas para ajudar você a aproveitar ao máximo sua plataforma de aprendizagem.

Cadastrar