Como usar a gamificação para aumentar o envolvimento

  • 5 min para ler

Vamos mostrar os fundamentos da gamificação de materiais de ensino e como a aplicação de jogos pode ajudar a aumentar o nível de envolvimento dos alunos.

Todos sabemos que os professores estão sempre à procura de novas maneiras de envolver seus alunos. Hoje em dia, é possível encontrar uma imensidão de ferramentas online para ajudar, mas há uma que pode parecer um pouco intimidadora para alguns professores: a gamificação.

Os jogos podem servir para muito mais do que apenas diversão e entretenimento, e você não precisa ser craque em tecnologia para incorporá-los às suas aulas. Na verdade, a gamificação é 75% psicologia e só 25% tecnologia.

O uso de jogos nos seus cursos pode variar desde uma estrutura fácil e simples até uma muito mais complexa.

Vou explicar por que gamificar os seus materiais de aprendizagem é muito mais fácil do que você imagina. Se você prefere aprender ouvindo, outra ótima opção é assistir a este webinar sobre como gamificar seu curso em cinco passos simples (em inglês).

O que é a gamificação?

De forma resumida, a gamificação é a aplicação da mecânica de jogos a atividades de aprendizagem. Alguns exemplos são o estabelecimento de um sistema de pontuação, recompensas com medalhas, rankings de jogadores, criação de fases e o desenvolvimento de uma narrativa.

Oferecer pontos e medalhas ao longo do curso pode ser atraente para jogadores do arquétipo Conquistador, segundo a escala de Bartle, que querem recolher tudo o que for possível em um jogo. Por outro lado, apresentar uma narrativa complexa, dividida em várias fases e que pode mudar de acordo com as ações do usuário é mais interessante para jogadores do tipo Explorador segundo a mesma escala, que querem ver tudo o que um jogo tem para oferecer.

DICA ÚTIL: Incluir a gamificação em um curso pode ajudar, mas também pode gerar um obstáculo. Por exemplo, quem já é motivado por natureza pode se sentir intimidado pelo sistema de medalhas em um curso.[1]

Como com qualquer outra ferramenta de envolvimento, é importante observar como seus alunos estão reagindo ao que você está propondo e responder da forma adequada. Não há uma fórmula mágica para envolver os alunos ou aplicar a gamificação ao seu curso – a chave está em experimentar.

Como posso gamificar o meu curso?

Veja algumas dicas simples para incluir a gamificação em materiais de ensino existentes:

Crie um sistema de pontuação para a conclusão de diferentes tipos de tarefas. Quem tiver mais pontos será o vencedor.

Construa uma história com vários capítulos que gire em torno do seu curso, revelando mais sobre ela à medida que os alunos vão completando o material. A história pode estar relacionada com algum aspecto do material ou apenas ser algo que interesse seus alunos.

Elabore uma lista de medalhas que seus alunos possam colecionar, associadas às atividades de cada fase do seu curso. Por exemplo, cada medalha pode estar associada a uma determinada competência que o aluno está tentando dominar.

Crie um mapa geral do seu curso, que sirva como uma representação visual divertida do número de fases existentes e dos prêmios associados a cada uma.

Você pode esconder conteúdos adicionais como bônus para quem quiser explorar certos conceitos mais a fundo. Também é possível associar recompensas a essas atividades de bônus.

DICA ÚTIL: É importante que o material comunique com clareza os incentivos ou recompensas possíveis para que seus alunos saibam exatamente quais metas devem atingir.

Usar jogos em sala de aula é outro método possível para envolver os estudantes, mas você pode ir além da simples aplicação da mecânica de games e realmente criar um jogo.

Tirando proveito dos jogos

Preciso confessar uma coisa: sou um grande fã do Pokémon GO. Inclusive, há pouco tempo estive na conferência Fusion da D2L em Washington, D.C., nos Estados Unidos, e tive a oportunidade de caçar Pokémon em uma área que não poderia normalmente. Caminhando pelo National Mall, o Pokémon GO funcionou como um motivador para que eu explorasse a área, que estava repleta de Poképaradas (que me fizeram conhecer monumentos que eu nem sabia que existiam). Embora o jogo não tivesse conteúdo relacionado aos tópicos que eu estava aprendendo, ele funcionou como motivador. Esse é apenas um exemplo de como um jogo criado para entretenimento pode contribuir para motivar a aprendizagem.

Você também pode usar jogos com tópicos relacionados para estimular o interesse pelo próprio conteúdo. Assim como passar um filme em sala pode aumentar o interesse da turma pelo assunto que está sendo ensinado, os jogos também podem funcionar como um gancho. Eles podem ser uma ótima introdução para a aprendizagem que está por vir.

DICA ÚTIL: O conteúdo de alguns jogos pode ser extremamente simplificado, então tente manter o interesse dos alunos para garantir uma aprendizagem mais aprofundada. Descubra quais jogos interessam os seus alunos e tente incorporar alguns deles no seu curso.

Jogos desenvolvidos para a educação

Alguns jogos foram adaptados especificamente para a educação, como SimCity EDU, Minecraft: Education Edition e Civilization Edu. Todos são exemplos de jogos que foram criados para entretenimento, mas modificados posteriormente para ter objetivos associados a padrões e competências. Ao jogar esses jogos, seus alunos vão aprender conceitos específicos e ter metas adequadas para atingir. Eles podem ser ótimas ferramentas para exploração e aprendizagem em ritmo individualizado.

Experimente

Se estiver se sentindo à altura do desafio, há muitas ferramentas que permitem desenvolver jogos próprios, feitos sob medida para o seu conteúdo. Pode dar trabalho, mas assim se conseguem os maiores níveis de controle e personalização. Você pode criar um simples jogo não linear interativo e baseado em textos (como os antigos livros-jogo) usando o Twine ou fazer algo mais complexo como uma história inteira de RPG usando o RPGMaker.

Como posso começar a desenvolver jogos?

Peça aos alunos para usar o Pokémon GO e visitar Poképaradas da área. Assim, eles podem criar um documentário histórico da região.

Elabore uma história no Twine em que os alunos devem usar o conteúdo que aprenderam enquanto jogavam e suas habilidades de pensamento crítico para concluir uma história.

Peça que seus alunos construam seu próprio jogo para demonstrar seu entendimento dos conceitos.

DICA ÚTIL: Muitos professores usam jogos analógicos há anos para envolver os alunos. Aproveite as ferramentas online disponíveis hoje em dia, além da grande variedade de jogos existentes. Há muitos recursos disponíveis para ajudar a incorporar jogos em sala de aula de várias novas maneiras.

Para continuar aprendendo sobre o tema e aprender a gamificar o seu curso em cinco passos simples, assista a este webinar (em inglês).

Quero aprender a gamificar > 

 

 

 

 

[1] DECI, E.L., RYAN, R.M., & KOESTNER, R. (1999). “A META-ANALYTIC REVIEW OF EXPERIMENTS EXAMINING THE EFFECTS OF EXTRINSIC REWARDS ON INTRINSIC MOTIVATION.” PSYCHOLOGICAL BULLETIN, 125, 627-668